sábado, 30 de outubro de 2010

A calma


Pra onde quer que eu olhe
Pra onde quer que eu vá
Não tem luz, não tem cor
Um breu em escala de cinza
Assim os dias passam
Não, eles não passam
Eles se arrastam
O relógio caminha
O sol vai e a noite cai
Porque assim tem que ser
Ordem natural das coisas
Perpetuando um vazio sem sentido
(Sem sentido mesmo?)
Vejo-te, mas não te sinto
Não enxergo mais o brilho
Você me diz que ele está lá
E me pede calma, uma eterna calma
Mas a calmaria já me enlouquece
Quero tempestades e turbilhões
Quero ventos fortes e arrebatadores
Sem nem ter tempo a refletir
Apenas sentir e deixar levar
Mas só tem a calma a me acompanhar...

3 comentários:

  1. Pensar enlouquece!!
    Por isso não paro de pensar!! o legal é estar louco... estar envolvido nessas "tempestades e turbilhões"""
    Escrever é o melhor pra descarregar mesmo!!

    Geovanny ArAl
    http://geoaral.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Mesmo quando tudo pede
    Um pouco mais de calma
    Até quando o corpo pede
    Um pouco mais de alma
    A vida não para...


    Sei lá pq lembrei dessa música!
    Tenha Calma mulher!!!
    Parabéns



    Mayara
    www.papodequinta.com

    ResponderExcluir