segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A visita



Chega do nada
Entra na casa dela como um vendaval
Ela sequer o convidou
Mas consente que esteja ali
Tantas coisas
Tanto tempo
Os sentimentos ficaram bem lá atrás
Acabou a raiva, findou o ressentimento
E o que ficou eles não conseguem controlar
Não existe explicação racional para o que passa com os dois
Uma coisa no olhar... intenso
Faíscas quando as bocas se encostam
Explosão quando os corpos se tocam 
Lascívia, volúpia... num frêmito rompante
Palavras soltas, mãos e suor
Os olhos se encontram na plenitude
A vida volta ao real
Eles se despedem... mas ele sempre volta.

7 comentários:

  1. Uau...isso me faz pensar tantas coisas. Estaria eu tendo um devaneio ?

    ResponderExcluir
  2. Que imagem é essa??? Essas imagens me fazem ter frios na barriga!
    HAUHAUAH

    Intenso isso hein??

    ResponderExcluir
  3. Eu adivinhei que a Edilene estava com pensamentos libertinos hoje.
    Bem sacana, gostei!
    Beijos
    @hugopt
    hugopt.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. É tão bom saber o significado do texto...
    kkkkkkkkkk!!

    Muito bom Edi... ainda mais porq foi de primeira!!
    Bjos!!

    Geovanny ArAl
    http://geoaral.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. That´s All!!!Eu sei do que se trata lálálálálálá

    ResponderExcluir
  6. Eu estou ansiando por isso hahah. Òtimo como sempre minha cara

    ResponderExcluir
  7. Nada além do desejo de dois corpos que se entendem profundamente, num nível que foge do racional, do sentimento, então é o inverso: o corpo produz o sentimento, cria-o. E a razão se bestializa.
    Profundo. Lúbrico. Feminino. Intenso.
    Parabéns!

    http://vazaante.blogspot.com

    ResponderExcluir